Publicidade
Página Inicial

“Apagaram minhas presenças e colocaram faltas”, diz psicólogo e presidente do CMS

04/06/2013 às 18:27 em Destaque, Polícia

Jamerson Lindoso, Psicólogo e presidente do CMS exige das autoridades competentes, providencias no sentido de responsabilizar os culpados.

11ª Extraordinária do CMS de BuriticupuBuriticupu – Além de intensificar a fiscalização junto à secretaria municipal de saúde, o Conselho Municipal de Saúde (CMS), de Buriticupu, tem apostado na participação popular como o segredo do sucesso para o efetivo controle social da gestão pública.

As reuniões do (CMS), que acontecem semanalmente, são amplamente divulgadas nas redes sócias, nos programas de rádio, carro de som e até mesmo por meio de convite personalizado para todas as entidades do município.

Não satisfeitos com os mecanismos de divulgação, os Conselheiros vão frequentemente as escolas explicar o trabalho do CMS e também procuram estimular os estudantes a participarem das discussões que determinam os rumos da saúde de Buriticupu.

A última reunião do CMS no dia 31 de Maio aconteceu na Câmara Municipal contou com a participação de (162) pessoas. Um público maior do que o presente na sessão do legislativo municipal que aconteceu no mesmo dia e no mesmo local.

Outra novidade do CMS de Buriticupu é que todas as reuniões são gravadas e as imagens disponibilizadas na integra no youtube, (http://www.youtube.com/watch?v=v1Ic43WuCO4), dessa forma, mesmo quem não foi à reunião pode saber de tudo o que aconteceu.

Facilitar o acesso do povo a tudo o que acontece no CMS se tornou uma obsessão dos Conselheiros, que ao final de cada reunião digitalizam as ATAS e todos os documentos do CMS e enviam para mais de 430 munícipes que estão cadastrados no e-mail do CMS.

Por tudo isso, o CMS de Buriticupu passou a incomodar alguns poderosos da região que estão preocupados com a insistência do CMS em ter acesso a folha de pagamento do funcionalismo da saúde, aos extratos das contas do Fundo Municipal de Saúde e as notas fiscais e demais comprovantes de pagamentos que ainda não foram disponibilizados ao CMS. O clima entre o CMS e a gestão municipal azedou depois que o presidente do CMS de Buriticupu, Sr. Jamerson registrou um boletim de ocorrência alegando está sendo perseguido.

Segundo ele, sua assinatura no livro de ponto do CRAS da Terra Bela, onde é funcionário foi apagado e colocado falta, durante período em que o mesmo estava a serviço do CMS. Sr. Jamerson, concedeu uma entrevista a um programa de rádio local, onde detonou a administração de Zé Gomes.

Veja ocorrência!

ocorrencia

Por Antônio Marcos

Com informações do conselho municipal de saúde (CMS)

Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


9 − 7 =