Publicidade
Página Inicial

Justiça prorroga prisão de suspeitos da morte do “Blogueiro” Décio Sá

12/07/2012 às 18:27 em Justiça
Envolvidos vão continuar presos por mais 30 dias. Decisão da 1ª Vara do Tribunal do Júri foi expedida nesta quinta-feira 12/07.
 
São Luís – A Justiça prorrogou, nesta quinta-feira (12), a prisão temporária dos sete suspeitos de envolvimento no assassinato do jornalista Décio Sá. A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão havia feito o pedido na última segunda-feira (9) e, nesta manhã, o deferimento da solicitação foi confirmado.
Com a decisão expedida pela 1ª Vara do Tribunal do Júri, permanecerão presos por mais 30 dias: Jhonatan de Sousa Silva (assassino confesso), Gláucio de Miranda Carvalho (suposto mandante), José de Alencar Miranda Carvalho ( suposto mandante), Airton Martins Monroe (suposto mandante), José Raimundo Sales Charles Júnior, o Júnior Bolinha (agenciador do pistoreiro), Fábio Aurélio do Lago e Silva, o Bochecha (agenciador do pistoleiro) e Fábio Aurélio Saraiva Silva (teria fornecido a pistola para matar o jornalista).
O oitavo mandado de prisão contra o piloto da moto que transportou Jhonatan ao local do crime ainda não foi cumprido. Um homem identificado como Elker Farias Veloso, preso em Divinópolis (MG), em 23 de junho, chegou a ser apontado como o motoqueiro que levou Jhonatan à Avenida Litorânea, em 23 de junho, dia do crime. Mas sua participação na execução do jornalista ainda não foi confirmada.
Relembre o casoO jornalista Décio Sá foi executado a tiros, em um bar da Avenida Litorânea, orla de São Luís, no dia 23 de abril. Após mais de 50 dias de investigações, a polícia prendeu os sete suspeitos de envolvimento no caso, apresentando os participantes da quadrilha em entrevista coletiva, no dia 13 de junho.
Segundo a polícia, as denúncias do jornalista Décio Sá sobre crimes de agiotagem, desvio de recursos públicos e extorsões foram as causas que levaram à sua execução. A morte do jornalista, segundo o assassino confesso Jhonatan de Souza Silva, teria custado R$ 100 mil, valor que não foi pago integralmente.
O calote teria sido um dos motivos da volta de Jhonatan a São Luís que queria cobrar a dívida. Contudo, com a sua prisão, a polícia conseguiu desvendar o assassinato do jornalista Décio Sá e outros delitos cometidos pela quadrilha continuam sendo investigados.
Fonte/http://g1.globo.com/ma/maranhao/index.html
Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


− 4 = 1