Publicidade
Página Inicial

Rede de Cidadania de Açailândia organiza Greve Geral contra reformas de Temer

25/04/2017 às 15:25 em Geral

Rede de CidadaniaDezoito das entidades do Rede de Cidadania Açailândia RdC (Centro de defesa da Vida e dos Direitos Humanos Carmen Bascarán, Sindicato dos bancários do Maranhão, Paróquia Santa Luzia, Sintrasema – Sindicato dos Servidores do Município de Açailândia, Centro Comunitário Frei Tito, Associação Comunitária do Pequiá de Baixo, Fórum de defesa das pessoas com deficiência, Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, Sindicato dos Comerciários de Açailândia, APAE – Associação dos Pais e Amigos dos Especiais, Associação comunitária da Vila São Francisco e Jardim América, SINPROESEMA – Sindicatos dos/as profissionais da Educação do Estado do Maranhão, Associação dos concessionários do Mercado Municipal, Associação das Auto-Escolas de Açailândia, Movimentos dos Trabalhadores/as Sem Terra, Sindicato dos trabalhadores/as na Construção Civil, Radio Arca FM e Grupo de Capoeira Raízes do Brasil) estiveram reunidas na noite desta segunda (24) no Sindicato dos Comerciários de Açailândia/MA para o término da organização da greve geral no dia 28/04, mobilização dentro das lutas nacionais contra as Reformas impostas pelo Governo Federal, entre elas a Reforma da Previdência, a Lei das terceirizações e a Reforma trabalhista.

Em Açailândia, o ato de protesto ocorrerá em concentração às 7h na Praça da Bíblia, percorrerá as ruas do centro e término na Praça do Pioneiro.

Todas as categorias de trabalhadores/as são convocadas para barrar essas reformas que destroem a vida da classe trabalhadora penalizando sobretudo as mulheres, os jovens e idosos, os/as trabalhadores/as em geral, as pessoas já aposentadas e as futuras gerações.

Nessa sexta-feira, vamos parar Açailândia, o Maranhão e o Brasil para dizer quem é manda nesse país, para manter os direitos conquistados na luta durante décadas. A classe política majoritária e a grande classe empresarial precisam respeitar quem produz a riqueza do Brasil. Regime de escravidão não cabe mais nesse chão. A classe trabalhadora precisa ser respeitada e quando ela se une e se move, o chão estremece. Direito não se aliena, se amplia.

A coordenação

Rede de Cidadania Açailândia RdC

Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


+ 2 = 7