Publicidade
Página Inicial

Exclusivo! Marlene Mascarenhas fala ao Blog porquê foi demitida do cargo de Secretária de Educação de Buriticupu

25/08/2021 às 06:39 em Sem categoria
Professora Marlene Mascarenhas (Ex-secretária de educação de Buriticupu). Foto: Divulgação

Como já havia antecipado o Blog do Antônio Marcos (REVEJA), a professora Marlene Mascarenhas foi demitida do cargo de Secretária de Educação do Município de Buriticupu.

Em abril deste ano, a então secretaria Marlene, juntamente com o marido, o empresário Hélio Mendes, declararam apoio a pré-candidatura do prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahesio Bonfim, ao governo do Maranhão. A decisão da professora contrariou o prefeito João Carlos (Patriota), que já havia decidido apoiar o projeto de sucessão do comunista Flávio Dino.

Marlene Mascarenhas ficou no comando da pasta,(Secretaria de Educação), de 04 de Janeiro a 20 de agosto do ano em curso, quando foi comunicada de sua demissão do cargo.

Em conversa com com o titular deste noticioso (Blog do Antônio Marcos), Marlene Mascarenhas disse, dando riquezas de detalhes, o porquê de ter sido demitida. “Fui demitida por conta do meu posicionamento, em apoiar a pré-candidatura do Dr. Lahesio Bonfim ao governo do Maranhão, desde o mês de Abril, quando meu esposo decidiu colocar um outdoor em frente nossa residência, manifestando publicamente nosso apoio a Lahesio e por dizer ao prefeito João Carlos, que não o seguiria com o apoio ao sucessor do governador Flávio Dino. Ele (João Carlos) tirou suas conclusões de que não daria mais certo a minha permanência na condução da pasta. Nem um cargo, seja ele qual for, arrancará minha essência. Sou Cristã e a autenticidade da minha fé, continuará se revelando em minhas atitudes cotidianas”, Disse Marlene Mascarenhas.

Perguntada se deixaria a pasta com a sensação do dever cumprido, Marlene declara. “Havia muito a ser feito. Foi uma gestão interrompida, pois nos primeiros meses, em toda e qualquer gestão, só se organiza a pasta”, acrescentou.

Quando indagada sobre o que teria sido um dos pontos altos de sua gestão, a mesma disse que foi “acolher as pessoas, pais, servidores e população em geral, com toda sensibilidade humana, que o cargo exige. Principalmente em um momento tão difícil, pelo qual estamos passando“, finalizou.

A professora, ex-secretária de educação e cantora evangélica, ainda afiliada ao Patriota (mesmo partido do prefeito João Carlos), pretende disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão, ano que vem, o que também desapontou o prefeito João Carlos, que já sinalizou a intenção de colocar o pai para concorrer o mesmo cargo.

Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


7 + 8 =