Publicidade
Página Inicial

Greve dos professores foi aderida por 95% da categoria, diz sindicato

02/03/2011 às 11:14 em Sem categoria

SÃO LUÍS – O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública no Estado do Maranhão (Sinproesemma) afirmou que 95% dos professores, nas 18 regionais do Estado, aderiram ao movimento grevista, deflagrado nesta terça0feira (1º). Os educadores reivindicam, prioritariamente, a aplicação do Estatuto do Educador e da tabela salarial.
Na tarde desta terça, os professores visitaram escolas, tentando sensibilizar os colegas e explicar aos alunos as motivações da paralisação, que continua por tempo indeterminado. “O início da greve foi um sucesso. Tivemos bastante apoio dos professores. Uma ou outra escola continua funcionando.[…] Até agora, não tivemos novo contato com a Secretaria [de Estado da Educação]”, afirmou Júlio Guterres, secretário de Imprensa do Sinproesemma.
O sindicato acredita que somente na quinta-feira (2), ou depois do Carnaval, que representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), ou a secretária Olga Simão, sentarão à mesa para negociar. “Eles achavam que não conseguiríamos mobilizar os profissionais no Estado. Mas o cenário foi diferente”, comentou Guterres. Ele completou, no entanto, dizendo acreditar que um acordo não está distante. “Não estamos distantes do acordo. Um ponto positivo, por exemplo, é que eles já se dispuseram a enviar o projeto do Estatuto do Educador para a Assembleia. Mas queremos que a proposta financeira seja melhorar para depois ser enviada para a Casa”, disse.
Em nota, a Seduc afirmou que o Estatuto do Educador é uma prioridade para ser colocada em prática pela pasta. De acordo com a secretaria, a revisão salarial da categoria seria priorizada, o que foi assegurado pela Seduc. “A medida é uma determinação da governadora Roseana Sarney, atendendo a pauta de reivindicações dos educadores, discutida em várias reuniões com representantes do governo e do sindicato”, diz a nota.
A Seduc diz, ainda, que “o governo demonstrou ao Sinproesemma, com total transparência, o limite das possibilidades de aumento de remuneração em 2011, sem o comprometimento do investimento e do custeio da rede pública de ensino do Estado”.
Além disso, a Seduc assegurou que “empreenderá todos os esforços para garantir que as ações – planejadas com gestores e a comunidade escolar para o ano letivo de 2011 – sejam plenamente efetivadas na rede estadual neste momento de paralisação de alguns professores”.
Fonte/imirante
Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


− 5 = 2