Publicidade
Página Inicial

Velhice sob o olhar de Josué Montello é abordada em projeto interinstitucional

09/12/2019 às 13:48 em Geral

Ministério Público do Maranhão é idealizador da iniciativa

Como parte do Projeto Adequando Currículos, do Centro de Apoio Operacional de Proteção ao Idoso e às Pessoas com Deficiência (CAOP/PIPD), do Ministério Público do Maranhão (MPMA), foi iniciado, em novembro passado, um ciclo de palestras em escolas públicas da rede estadual de São Luís e São José de Ribamar sobre o tema “A velhice nas obras de Josué Montello”, que aborda aspectos do processo do envelhecimento.

As primeiras escolas atendidas foram o Centro de Ensino Benedito Leite (Escola Modelo), no centro de São Luís, e o Centro de Ensino Estado do Pará, no bairro da Liberdade.

O projeto é realizado em parceria com o Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação do MPMA, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por meio da Assessoria de Educação Especial, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA). O objetivo é erradicar, por meio da educação, o preconceito e a discriminação contra a pessoa com deficiência e pessoa idosa, e criar uma cultura de respeito e valorização desses segmentos. O projeto deve ser executado, inicialmente, em 13 escolas estaduais.

No CE Benedito Leite, a atividade teve as participações dos promotores de justiça Gabriele Gadelha Barboza de Almeida (coordenadora do CAOP/PIPD), Ronald Pereira dos Santos, José Márcio Maia Alves e Maria Luciane Lisbôa Belo, além da supervisora de Educação Especial da Seduc, Rosane Ferreira, e de servidores do MPMA e da Secretaria. O público foi formado por estudantes de cinco turmas do 2º ano do ensino médio.

Na abertura dos trabalhos, a promotora de justiça Gabriele Gadelha discorreu sobre os objetivos do projeto Adequando Currículos, enfatizando a busca de assegurar a educação inclusiva do idoso e da pessoa com deficiência, para propiciar a erradicação do preconceito, mediante a adequação dos currículos escolares às necessidades desse segmento.

Ronald Pereira dos Santos também reforçou a importância da iniciativa como meio de combater o preconceito contra as minorias, além de aproximar as instituições da sociedade no combate a todo tipo de discriminação e violência.

Em seguida, a pesquisadora Jeane Sousa Santana, que é aluna do Curso Técnico em Guia de Turismo do IFMA e graduanda em Letras da Universidade Federal do Maranhão, proferiu a palestra sobre o tema da velhice em sete obras de Josué Montello: A indesejada aposentadoria, Os tambores de São Luís, Noite sobre Alcântara, Cais da Sagração, Largo do Desterro, O baile da despedida e Labirinto de espelhos.

CE ESTADO DO PARÁ

No Centro de Ensino Estado do Pará, após acolhida da diretora-geral da escola, Sandra Torres, foi proferida a mesma palestra sobre a velhice à luz da obra de Josué Montello. A gestora afirmou que o projeto e a palestra são bem-vindos porque muitos alunos da escola são criados e mantidos por seus avós. Ainda segundo ela, o debate sobre a velhice possibilitará melhor abordagem em sala de aula sobre a questão do envelhecimento.

O promotor de justiça José Márcio Maia Alves fez considerações sobre quem é o Ministério Público e sua função para que os alunos compreendessem melhor a atuação da instituição na defesa dos direitos das pessoas idosas e das pessoas com deficiência, bem como o objetivo do projeto. Ele fez, ainda, uma abordagem paralela sobre as peculiaridades dos idosos desses livros que a palestrante elegeu.

PALESTRA

Na palestra, Jeane Sousa Santana exibiu imagens de locais emblemáticos da cidade de São Luís, narrados nas obras abordadas em cada livro. Foram, também, distribuídas algumas caricaturas, com palavras-chave no verso, tais como, viuvez, solidão, idadismo, memória, geratividade e longevidade relacionadas aos personagens das citadas obras de Josué Montello.

A dinâmica teve objetivo de suscitar a discussão de vários aspectos referentes ao processo de envelhecimento, assim como analisar a percepção dos estudantes sobre a velhice.

PERSONAGENS

Após a palestra da pesquisadora, José Márcio Maia Alves destacou características da personagem Venâncio Sezefredo, do livro Um Beiral para os Bentevis, que, sob o olhar da Gerontologia, podem ser abordados aspectos da sociabilidade e viuvez.

O membro do Ministério Público também ressaltou mais duas obras: “O Camarote Vazio” e “A Décima Noite”, este último, um dos primeiros romances de Josué Montello, construído a partir de um artigo do código civil que dá ao cônjuge o prazo de dez dias para anulação do seu casamento.

O promotor de justiça destacou a personagem Tia Eudóxia, do livro “O Camarote Vazio”, que pode ser explorada sob o prisma gerontológico, em função da consciência sobre suas finitude e solidão.

Da Assessoria

Acompanhe o Blog do Antonio Marcos também no Facebook e no Twitter.

Deixe um comentário


− 5 = 2